quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Mancha Mongólica

No dia do nascimento do Lourenço reparámos que ele tinha duas manchinas negras no rabito.
O nosso primeiro pensamento foi que o tinham deixado cair durante o parto!!!
No dia seguinte quando a enfermeira passou no quarto para nos dar apoio, eu aproveitei e perguntei o porque de o Lourenço ter aquelas manchas.
Para nosso espanto, deu-lhe o nome de mancha mongólica!
Nunca tínhamos ouvido falar em tal coisa, nem imaginava que os bébés já nascessem com aquelas manchas!! Como somos incultos às vezes!
Depois de pesquisarmos encontrámos isto:
“É uma lesão da pele chamada de mácula de cor azul - acinzentada, com tonalidade variável e com margens irregulares, frequente em Recém-nascidos.
Localiza-se por norma na área lombo sagrada (Costas ou nádegas), podendo também aparecer com menos frequência nas coxas e ombros.
A cor das manchas deve-se por norma á localização dérmica de melanócitos cheios de melanina que detiveram a sua migração da crista neural para a epiderme.
Apenas 10% dos recém-nascidos Caucasianos (raça branca) apresenta a mancha mongólica, mas aparece em cerca de 80% dos recém-nascidos de Raça Negra e Mongólica. Daí resultar o nome! Não tem nenhum relacionamento com a doença de Down (Mongolismo).
Num estudo feito numa maternidade portuguesa revela que cerca de 22% de recém-nascidos apresentavam esta mancha.
Na Crença Popular de muitas culturas Orientais diz-se que a mancha aparecia porque a alma não queria encarnar nesse bebé e por isso espíritos superiores davam-lhe um pontapé ficando assim a marca.
Existem já alguns estudos científicos que dizem que a mancha está relacionada com antepassados de origem asiática ou índios Americanos.
Muito pais preocupam-se com esta mancha chegando a pensar que está relacionado com algum traumatismo sofrido durante o parto.
Mas tal como já explicámos não está relacionado com o parto e não há qualquer tratamento a fazer. A Mancha Mongólica tende a desaparecer na primeira infância, podendo demorar mais algum tempo quando são mais que uma e não são nem nas nádegas, nem nas costas.”
A verdade é que nada tem de mal e que ficámos muito mais descansados depois de ler isto.
Espero que vos seja útil também...
Aqui fica uma fotografia das manchas mongólicas do Lourenço, ele tem duas.


(fotografia: Mónica Costa) 

Sem comentários:

Enviar um comentário